sexta-feira, 2 de março de 2012

ABRIR OS OLHOS

Se há uma grande sonolência e as pálpebras pesam, é o momento de abrir  os olhos e acordar para a vida, a realização, a atividade. O sono é uma bênção-dádiva necessária para  a recuperação das células físicas. Nesses  instantes, o  espírito consegue escapar dos limites e pervagar pela essência eterna.
Mas, quando a sonolência, em momento inadequado, ameaça tomar-te a atenção, reage. É preciso lutar no mar revolto. Abrir os olhos  também significa muito quando eles estão obliterados por falsas crenças, ilusões, desvalias, idéias improdutivas. Num quadro desses, é preciso lutar para safar-se de falsas premissas. Quantos caem, nesses momentos, em aspectos de vida completamente falsos...
Manter os olhos abertos significa, também, estar atento a todos os pormenores, esquecer veleidades, observar nitidamente os “recados” do Criado. Sem predisposição ninguém consegue assimilar certas lições.
Manter os olhos abertos significa, também, não caminhar por veredas indevassáveis. De lá surgem sugestões absurdas, incontroláveis. São as tentações tão amplamente comentadas, em todos os tempos. Erguer-se  da  sonolência, lavar  o rosto com água pura, acordar  das ilusões e caminhar  em direção à luz, sempre dá bons resultados e frutos.
Por  que permanecer apartado da realidade? Todo estado provindo da  anestesia  mental sempre  acaba conduzindo a um poço profundo, escuro, de difícil retorno.
ALTAMIRO

COM CARINHO...
Maurício Marcial de Araújo - CRT 43301 - Terapeuta Holístico, trabalha com Radiestesia, Radiônica e é palestrante destacado do congresso Holística.
É autor dos livros:
A Radiestesia em Terapia Holística, que pode ser adquirido em www.livroteca.com.br e tambem em http://www.agbook.com.br/book/62245--A_RADIESTESIA_COMO_FERRAMENTA_NA_TERAPIA_HOLISTICA_,
 

quinta-feira, 1 de março de 2012

Método para o uso do pêndulo


Primeiros Passos para uma Prática Segura e
Bem Sucedida da Radiestesia
O artigo abaixo foi retirado do site ASSOCIAÇÃO CULTURAL LUSITANAE RADIESTESIA,, responsável pela sua tradução em Português, com a devida permissão.
Procuramos reproduzir este artigo por tratar-se de uma boa introdução à prática da Radiestesia, principalmente a Radiestesia mental, esperamos que gostem, e aproveitamos para recomendar aos radiestesistas que visitem o site português clicando aqui.
Ah sim, o artigo está em português de Portugal.
Pedimos aos interessados que leiam o artigo com atenção, a parte que trata da maneira de fazer perguntas é excelente.
Copyright © Bill Cox
A boa prática da radiestesia depende da continuidade de pelo menos cinco procedimentos que estão interligados:
1. A preparação prévia;
2. Um início correcto;
3. O processo intermédio;
4. A informação fiável proveniente da intuição e
5. A análise correcta das descobertas.
A sequência da pesquisa opera-se como elos de uma cadeia. Se um elo for omitido ou estiver fora de ordem todo o sistema pode falhar.
O processo começa com o pensamento lógico cerebral; depois actua a mente intuitiva para finalmente se regressar às faculdades do raciocínio lógico na análise dos resultados.
Para proteger a cadeia de incertezas:
1. Estabeleça de antemão os códigos seguros da prática com o instrumento.
2. Faça uma pergunta de cada vez, de forma clara. Pondere cada pergunta subsequente exactamente da mesma maneira.
3. Se lhe forem solicitadas predições acerca de acontecimentos ou coisas… pense que o “prognóstico” corresponde mais a uma combinação de respostas possíveis do que a uma predição única e absoluta.
4. Deixe o processo fluir naturalmente. Submeta o pensamento intelectual à intuição. Mantenha-se relaxado. Evite desejos e expectativas.
5. Avalie o que descobriu somente após ter recebido toda a informação codificada.
Se suspeitar que existem erros ou incertezas, regresse mentalmente aos elos da cadeia. Depois prossiga, um elo de cada vez. Navegue por todo o caminho através de conclusões seguras.
Através dos poderes, temporais e intemporais, da mente estas técnicas podem restabelecer qualquer esquecimento, ligando os elos da sua cadeia de pesquisa.
Habitualmente a informação intuitiva surge-nos fragmentada. Há que ser paciente. Dê tempo para que os dados recebidos formem um mosaico completo e significativo.
A mente “noetica”, superconsciente, permite ao radiestesista realizar coisas extraordinárias…
2
CARTA A ROBIN
Walter Woods
Prefácio
Porquê?
Robin estava com os mesmos problemas que muitos radiestesistas têm no início tais como a precisão e a repetição. Ela escreveu à ASD (American Society of Dowsers) a pedir ajuda. A Sociedade enviou-lhe então os nomes e moradas de dez radiestesistas e eu fui um dos privilegiados. Robin enviou uma carta a cada um de nós e de todos recebeu informação. Há muito que eu sentia a necessidade de escrever uma brochura sobre o tema mas foi essa carta que me inspirou a fazê-lo. Devido ao empenho de fazer um trabalho tão claro quanto possível já vai na sua décima versão.
Fontes de informação: Desde 1980 e durante dez anos, desenvolvi uma “Folha de Radiestesia” e uma brochura que a acompanhava. Este sistema começou com uma página e aumentou para oito, em vinte e seis revisões. Esta brochura inclui instruções para uso do pêndulo, programas, estabelece parâmetros e condições para a prática da radiestesia, ensinando ainda como fazer correctamente as perguntas. Carta a Robin baseia-se na minha percepção dos princípios e de conhecimentos bem como no contributo de muitos radiestesistas.
A quem se dirige?
Este curso foi projectado como uma ferramenta de aprendizagem para principiantes mas também contém informação que pode ser útil a radiestesistas mais qualificados.
Como se usa?: Em trinta minutos qualquer pessoa se familiariza com este trabalho. Cada passo é explicado de forma simples. Com ele irão verificar como se aprende radiestesia facilmente.
Nota: Trabalhe lentamente e pratique para se tornar um(a) radiestesista realizado(a), útil a si e aos outros.
Na sua carta, Robin perguntava coisas muito interessantes. Eis a minha resposta:
Em primeiro lugar obrigado pela sua carta. Você levantou questões muito importantes. Vou tentar responder o melhor que sei.
Diz que o seu trabalho de radiestesia não está a correr muito bem e não sabe se pode confiar nele. Quer saber se um instrumento é melhor que outro. Pergunta se eu posso dar-lhe algumas idéias para melhorar o seu desempenho. Refere também que, ouviu dizer que, a fraseologia das perguntas é muito importante em radiestesia. Por tudo isto vou sugerir-lhe algumas ideias.
O que é a radiestesia? Radiestesia é a antiga arte de procurar água subterrânea, minerais e outros objectos que parecem ter um magnetismo natural, um electromagnetismo ou talvez outro tipo de energia desconhecida. Essas energias são detectadas pelo corpo através de sensores que não são mais misteriosos do que a capacidade de ver, ouvir ou sentir, e que é natural em todos nós. Tal como na música, com a prática, muitas pessoas desenvolvem um bom grau de sensibilidade radiestésica.
A visão de um determinado acontecimento pode causar um sentimento, uma reacção no estômago, ou provavelmente outras, de carácter desapercebido, subconsciente. Pode acontecer que outras reacções subconscientes, subtis, sejam elas água ou de outras origens, dêem uma resposta subconsciente controlada pelos vários tipos de instrumentos radiestésicos que existem (varas, pêndulos, bobber, etc.).
O objectivo das associações e sociedades de radiestesia é partilhar experiências, sucessos ou fracassos, e reunir informações sobre estes fenómenos. É uma actividade excitante que reúne pessoas de mentes abertas e pesquisadoras. Estas investigações conduziram à descoberta de que somos sensíveis e respondemos a muitas energias subtis. O instrumento radiestésico serve simplesmente de ligação entre a sensibilidade e a mente consciente de cada pessoa. O mundo em que vivemos é fascinante!

As Ferramentas

Um instrumento radiestésico é um interface ou dispositivo de comunicação. Parece ser controlado pelo subconsciente embora eu esteja convencido que há outros factores envolvidos. Tenho observado que a maioria dos radiestesistas experientes ou profissionais usam as ferramentas básicas. Estas são as varas em L, a vara Y, o pêndulo e o bobber, dependendo de qual têm à mão no momento ou que rapidamente constroem cortando um cabide metálico ou pendurando um objecto num fio. Normalmente escolhem a mais conveniente para um trabalho específico. Há dispositivos de todos os tamanhos, formas e materiais. Mas isso não é a principal preocupação dos radiestesistas experientes.

Começar

Embora muitos radiestesistas tenham os seus instrumentos favoritos e outros assegurem que um, em particular, trabalha especialmente bem, todas os instrumentos são bons e trabalham eficazmente para o radiestesista experiente. É o instrumento a que se acostumou ou o que gosta mais que deve determinar a sua escolha.

Aprender Radiestesia

Gostaria de sugerir que aprender radiestesia é como aprender a tocar um instrumento musical ou a digitar um teclado. Requer instruções, cuidadosamente controladas, e prática. Como com um instrumento musical, as recompensas podem ser muito agradáveis e úteis.

Dez Passos

Se quiser podemos começar a fazer uma sessão simples de treino, passo a passo, no mundo da radiestesia. Tente fazer os Dez Passos seguintes. Siga metodicamente as instruções e dê um passo de cada vez. Cada um deles é fácil de executar e não requer muito tempo.

Tempo e Lugar

Como sugestão, agora e no futuro, tente encontrar um lugar calmo, um lugar onde possa estar só e onde se sinta confortável, um local que normalmente esteja disponível durante os minutos de prática. Isto constitui uma espécie de encontro diário com o seu subconsciente. Esse lugar poderá ser a mesa da cozinha, de manhã cedo, ou em cima da cama, à noite, ou em qualquer outro lugar ou horário. Isto é muito útil se você estiver a aprender radiestesia há pouco tempo. Se, no entanto, estiver com outro radiestesista ou se já desenvolveu alguma habilidade, não se torna tão importante estar no lugar escolhido a uma hora predeterminada.
(agora imprima este gráfico para começar a praticar)

Preparação

Agora leia com atenção os seis passos seguintes só para ter uma ideia do que está a fazer. Não é preciso estudá-los, basta familiarizar-se. Dê um passo de cada vez. Tudo a postos? Então vamos começar!
Passo 1. Relaxe e tranquilamente deixe-se conduzir para um estado introspectivo, meditativo (estado alfa).
Passo 2. Pegue no pêndulo (qualquer um serve) e segure o fio, entre o polegar e o indicador, com um comprimento de 4 a 8 centímetros. O comprimento do fio determina a velocidade do movimento (quanto mais curto mais rápido é o movimento, quanto mais comprido mais lento o movimento). A seguir posicione o pêndulo sobre a parte central do quadro.
Passo 3. Agora, manualmente (movendo a mão e os dedos) provoque o movimento do pêndulo em direcção ao SIM pedindo e esperando que continue a mover-se, por si próprio, sem a sua intervenção. Faço-o em voz alta com o mesmo tom como se estivesse a falar com uma pessoa. Se o pêndulo parar comece tudo de novo. Observe só a parte dianteira do movimento do pêndulo e ignore a outra metade (do centro para si). Repita até que o pêndulo se mova por si próprio. Voluntariamente provoque o movimento do pêndulo e depois peça para ele continuar sem qualquer intervenção da sua parte.
Passo 4. Faça o mesmo para o NÃO. Os dedos continuam sobre o centro do quadro e você ignora a outra metade do movimento (a provocada voluntariamente).
Passo 5. Uma vez que o pêndulo esteja a balancear por si próprio sobre o NÃO, com o pêndulo ainda em movimento, peça para, no sentido horário, voltar ao SIM e a seguir para o PRONTO PARA A PERGUNTA.
Passo 6. Agora peça ao pêndulo para ir, no sentido anti-horário, desde o PRONTO PARA A PERGUNTA para o SIM e a seguir para o NÃO e seguidamente, no sentido horário, voltar para o SIM. Pratique os passos 3, 4, 5 e 6 várias vezes em dias diferentes.

A Meio Caminho

Nos seis passos acima estão descritos os controlos básicos do pêndulo necessários nesta fase. Os outros serão programados automaticamente nos próximos passos. Se conseguiu realizar os seis passos anteriores você está no bom caminho. Note que estes procedimentos podem ser feitos sozinhos embora às vezes seja útil, quando se começa, ter a colaboração e ajuda de um radiestesista experiente.
Se não conseguir realizar os seis passos em aproximadamente 15 minutos tente novamente meia hora mais tarde ou então no dia seguinte. Nesta fase é possível que experimente alguma interferência temporária. Não desista e tente novamente.
Antes de continuar com os passos 7 a 10 você precisa compreender o sistema de programação radiestésica e os seus objectivos.

Programando

Um programa é um plano ou sistema sobre o qual é tomada uma acção para atingir um objectivo.
Estabelecer um acordo sobre as condições com seu Sistema de Radiestesia é uma forma de programação.

Programando – Um Passo Chave

O propósito da programação é alcançar a máxima precisão. Isto é feito estabelecendo, com o seu Sistema de Radiestesia, alguns acordos pré-estabelecidos, mutuamente aceitáveis sobre palavras, frases, condições e o que significam os diferentes movimentos do pêndulo.
Se teve sucesso conseguindo que o pêndulo se mova para o SIM e para o NÃO e de um lado para o outro entre estes dois pontos, se praticou um pouco, então você é capaz de programar o seu Sistema de Radiestesia. Mas antes de o fazer leia atentamente esta e as páginas seguintes para ter uma ideia global.
A instalação do Programa é muito fácil e só tem três passos simples.
(A) Obter Permissão. Com o pêndulo a balançar no sentido do Pronto para a Pergunta faça em voz alta as seguintes perguntas: Posso, Sei, Devo ESTABELECER, MODIFICAR ou ACRESCENTAR Condições Radiestésicas, Acordos ou Programas que terão efeito contínuo até serem mudados por mim?
n Se o pêndulo responder SIM vá para o passo (B).
n Se o pêndulo responder NÃO então tente novamente mais tarde.
(B) Introduzir ou Estabelecer o Programa. Com o pêndulo ainda a balançar para o SIM leia o PROGRAMA, a MUDANÇA ou a ALTERAÇÃO e termine dizendo:
Fim das condições pré-estabelecidas e acordadas, obrigado ou diga simplesmente:
Fim do programa, obrigado.
(C) Confirmação Final. Pergunte: As Condições ou Modificações apresentadas são aceitáveis, claras, não contraditórias e susceptíveis de serem modificadas a meu pedido?
n Se a resposta for SIM então você acabou.
n Se a resposta for NÃO use o pêndulo para perguntar e saber quais as razões.
Nota: uma vez programado o Sistema de Radiestesia não é preciso voltar a repeti-lo. Ele permanece automática e continuamente em efeito até ser mudado por si.
Agora vamos continuar com os outros passos.

Programar o Sistema de Radiestesia

Passo 7. Se o (A) acima for SIM então com o pêndulo balançando no SIM leia em voz alta o seguinte Programa Principal. No futuro você pode fazer mudanças neste e noutros programas.
O programa principal é continuamente válido até eu fazer alterações.
O programa cobre a totalidade dos principais controlos, limites, convenções e respostas radiestésicas.
O objectivo é determinar quantidades, efeitos, condições, circunstâncias, influências, períodos de tempo, medidas, distâncias, números, percentagens e outras informações solicitadas.
As comunicações radiestésicas são inter-cooperativas e restritas: à totalidade da Inteligência Cósmica (pode substituir por: Deus; A Força; Eu Sou; O Grande Espírito; etc.), ao meu superconsciente, ao meu Eu superior e seus espíritos guias/anjos da guarda e outros por eles escolhidos, aos meus sistemas mentais, ao meu subconsciente e sistemas relacionados. Isto para que eu não sofra nenhum mal, desconforto ou perda de energia, tanto física como espiritualmente.
Influencias, tais como pensamentos dispersos, devaneios imaginativos, desejos egoístas ou quaisquer outras condições de qualquer origem, física ou não física, incluindo as minhas próprias ou as de outras pessoas, entidades ou sistemas mentais de qualquer género, não me perturbam nem originam respostas radiestésicas erradas.
O tempo relacionado com a radiestesia é o presente a menos que outro seja solicitado.
As respostas são seleccionadas de todas as fontes de conhecimento e de informação disponíveis.
O método de resposta com o pêndulo neste sistema é:
(1) O movimento do pêndulo, na parte superior do quadro entre o centro do círculo e o ponto de interrogação (?), indica: PRONTO PARA A PERGUNTA.
(2) Os movimentos do pêndulo, na parte superior do quadro, entre o centro do círculo e o SIM ou o NÃO indicam a resposta mais apropriada à pergunta feita.
(3) O movimento do pêndulo sobre os sinais e letras assinalados no quadro constituem respostas complementares ou alternativas às perguntas feitas e têm o seguinte significado:
(+) Benéfico ou lado positivo.
(-) Não benéfico ou lado negativo.
(W) INTERFERÊNCIA.
(N) INFORMAÇÃO NÃO DISPONÍVEL de momento.
(C) MUDE DE ASSUNTO. Posso? Sei? Devo?
(A) OUTRA INFORMAÇÃO DISPONÍVEL. Faça mais perguntas sobre o assunto.
(I) PERGUNTA INCOMPLETA. É preciso mais informação para uma boa resposta.
(R) CUIDADO, perigo.
Modificações do Programa tais como acrescentos, eliminações ou alterações podem ser feitas por mim usando sempre o sistema dos três passos. Fim de programa. Obrigado.
Volte aos três passos de instalação e acrescente o seguinte programa:
O programa: Posso? Sei? Devo? é uma parte global de todo o meu trabalho, estando continuamente em uso até eu fazer alterações. Quando usado em relação às perguntas radiestésicas o Posso? Sei? Devo? tem o seguinte significado:
Posso? significa: tenho permissão?
Sei? significa: tenho capacidade para, com sucesso, pesquisar este assunto, e estou preparado?
Devo? significa: considerando todos os aspectos relacionados com este assunto, é conveniente, correcto e oportuno pesquisá-lo? Fim de programa. Obrigado.
Passo 8. Volte atrás e faça o passo (C). Se a resposta é SIM instalou convenientemente os três programas. Se a resposta for NÃO questione porquê.

Sobre a sua Programação

Uma vez instalado o Sistema de Radiestesia terá informações tão rigorosas como as de um radiestesista experiente. O melhor de tudo é que não precisa de se lembrar de todos os detalhes dos programas. O subconsciente faz isso por si. O que precisa de saber é que a informação está programada, no subconsciente, e produzirá efeito automático quando e enquanto trabalhar. É similar ao uso da mente para mover um dedo. O subconsciente tem um programa para mover os dedos. A única coisa a fazer é desejar, mentalmente, que o dedo se mova e tal acontece. O subconsciente, baseado na sua vontade, activa o programa próprio para que o dedo se mova. Com o pêndulo perguntou ao Sistema de Radiestesia se instalou os programas e ele fê-lo. Assim, não é preciso saber como se move o dedo ou como os programas de radiestesia funcionam. Use-os simplesmente!
Você está agora pronto para os últimos mas extremamente importantes passos 9 e 10.
Passo 9. De preferência no seu local favorito, no tempo dedicado a esse compromisso e com o pêndulo a trabalhar bem, você precisa fazer algumas perguntas práticas. Perguntas para as quais não tenha nenhuma ligação emocional. Por exemplo: Qual é o nível de vitamina C no meu corpo? Emocionalmente você não se preocupa se é alto ou baixo. Não é a mesma coisa que perguntar sobre o seu gato que está perdido e que por isso está muito ansiosa e preocupada. Tente perguntar utilizando o Nível de Efeitos e de que forma isso pode afectar o seu organismo. Use a parte do quadro que contém as secções Equilíbrio, Suave, Severo … Por exemplo, se o seu nível de vitamina C indicar -3 (secção negativa) então pode perguntar: que efeito teria se tomasse 500 mg. de vitamina C? Provavelmente iria para +3 ou +4 (secção positiva). Há muitos temas sobre os quais que pode treinar. Escolha assuntos com os quais não esteja emocionalmente envolvido ou de que conhece previamente as respostas. O Sistema de Radiestesia responderá às perguntas usando os programas previamente instalados.

Como Confiar no Trabalho Radiestésico

Diariamente, como sugerido no Passo 9, faça algumas perguntas durante 5 a 10 minutos e então termine a sessão com uma confirmação final. Para fazer isto, peça ao pêndulo para trabalhar no sentido dos ponteiros do relógio na parte mais baixa do círculo. Aqui encontra-se uma escala numérica que vai de 0 a 100. Pergunte ao pêndulo: que percentagem das respostas é influenciada por sentimentos pessoais ou pela vontade? (Observe só a parte indicada pelo balanço do pêndulo. Você está a usar a parte mais baixa do círculo e o pêndulo indica nessa direcção) Embora no Programa Primário tenha pedido ao subconsciente para não interferir, há um programa ainda melhor que previne o subconsciente de interferir com a sua vontade. Se você tiver uma mente forte ou estiver super ansiosa, poderá anular o programa de radiestesia. Não fique surpreendida se o pêndulo indicar que está a influenciar as respostas em 20% ou 30%. Não há qualquer problema nisso porque cada dia, quando pratica os exercícios, ao não querer deliberadamente influenciar as respostas, a percentagem será cada vez menor. Após algum tempo a percentagem vai para os 0% e você experimentará uma desligamento que tornará difícil a influência das respostas. Nessa altura confiará muito mais na radiestesia.
Passo 10. Quando se sentir mais segura e confiante no seu Sistema de Radiestesia pergunte ao pêndulo se deve repetir o Programa Primário. Se a resposta for SIM faça-o. Se a resposta for NÃO então é porque está correctamente programado e você poderá fazer outros programas, inventar novos ou proceder a mudanças. Agora pode ir até onde desejar. O céu é o limite!
Nota: sempre que muda de assunto, é muito importante perguntar ao Sistema de Radiestesia: Posso? Sei? Devo? (por exemplo: Posso? Sei? Devo? perguntar radiestesicamente [indique o assunto]?) Se a resposta for SIM prossiga, se for NÃO confie no julgamento. Orientação é o que estamos à procura com sabedoria. É possível perguntar porquê não se obteve resposta a uma determinada pergunta, usando o próprio Sistema de Radiestesia.

Prática

Divirta-se e pratique alguns minutos todos os dias. É como tocar um instrumento musical. Se seguir as instruções cuidadosamente e praticar um pouco todos os dias a sua habilidade e precisão tornam-se muito boas. E não fique desencorajado se não estiver certo o tempo todo. Até mesmo os melhores radiestesistas às vezes têm interferências ou maus dias.

Instrumentos Diferentes

É bom desenvolver a perícia usando a ferramenta favorita. Faça isto numa área que seja de especial interesse para si. Verificará depois que é muito mais fácil usar outras ferramentas radiestésicas. A maioria das pessoas, com capacidade para a radiestesia, têm os seus instrumentos favoritos mas também podem usar o pêndulo, a vara em Y, as varas em L e o bobber.

As Perguntas em Radiestesia

A Pergunta

Robin, você tem razão ao ficar preocupada sobre o teor da pergunta. Vou dar-lhe alguns exemplos e sugestões. Na revista trimestral da American Society of Dowsers (ASD) foi referido o exemplo de um instrutor de radiestesia, muito experiente, que pediu que as varas em L apontassem o Norte. Em vez de apontarem o Norte, apontaram para a audiência. Tal era muito estranho pois era um exercício que tinha sempre funcionado. Tentou novamente mas o resultado foi o mesmo. Enquanto ele debatia com a audiência alguma causa possível para o facto uma mão levantou-se e um homem disse: O meu nome é Norte. A resposta afinal tinha sido 100% correcta. Eu sugeri ao radiestesista que mudasse a pergunta pedindo às varas que apontassem o Norte Magnético da Terra ao que obteve resposta certa. Isto demonstrou um ponto muito importante sobre como é necessário ser preciso na pergunta. Outro exemplo poderia ser:
O meu carro precisa de gás?
A resposta seria SIM, até mesmo se o depósito do carro estivesse cheio (1). Um carro com motor a gasolina só pode trabalhar se usar para a combustão o ar, que também é um gás. Assim é claro que o carro precisa de gás. O Sistema de Radiestesia parece interpretar literalmente cada palavra da pergunta. Se a pergunta tem uma ou mais palavras que possam ter significados contraditórios e você e o seu Sistema de Radiestesia não concordaram com o significado, então a resposta pode ser completamente aleatória.
(1) duplo significado da palavra gas nos Estados Unidos: gás e gasolina.
Regra #1 É preciso ser muito específico sobre o que se pretende saber. Isto inclui: o quê; onde; quando e por vezes outras instruções de informação complementar relativas à pergunta.
Regra #2 Use somente palavras, frases e condições que tanto você como o Sistema de Radiestesia concordem no seu significado, e para o qual haja um método de acordo de resposta radiestésica.
Regra #3 Faça da pergunta um pedido definido, para uma informação que existe algures. Não peça um palpite, uma opinião. Se a pergunta envolve uma opinião do passado, do presente ou do futuro, ela deve ser comparada com um acordo de referências ou de condições.
Vou dar um exemplo fazendo a seguinte pergunta: você é forte?
A resposta será baseada naquilo que você pensa que eu quis dizer com a palavra forte. Forte fisicamente, mentalmente, emocionalmente, etc. Agora aplique as regras 1, 2, e 3 (o quê, quando e uma referência a algo). Você é suficientemente forte, neste momento, para levantar do chão esta caixa de papelão com o peso de um galão (unidade de capacidade correspondente a 3,78 litros nos Estados Unidos) de leite? Será que agora poderá dar-me uma resposta correcta a essa pergunta? Mais um exemplo para a seguir fazer alguns comentários animadores e indicar-lhe ideias úteis. Se eu perguntar: quantos pés (unidade de comprimento correspondente a 30,5 cm) há no chão do ponto (A) ao ponto (B) da fila dianteira da audiência? A resposta poderia ser doze, porque há seis pessoas que se sentam naquele espaço, cada uma delas com dois pés (extremidades das pernas).

Desenvolvendo uma Pergunta

Neste momento, você poderia dizer: como posso eu saber se estou a fazer uma boa pergunta?
(1) Formulando a Pergunta: Quando desejar explorar um novo tema para o qual não tem perguntas previamente formuladas, tente o seguinte. Faça várias perguntas diferentes procurando a sua concordância ou que dêem respostas contraditórias. São pistas que escondem a informação que realmente pretendemos e que influenciam as respostas. Alguns exemplos de perguntas enganosas: (veja o significado literal) Há água em [designe o local]? A resposta é SIM, ou seja há água no local designado. Há uma fonte de água a menos de 300 pés de profundidade que providencie 5 GPM (galão por minuto)? A resposta é SIM (especialmente na época das chuvas). A próxima pergunta pode dar uma pista de que algo está errado. Pode essa fonte de água permitir abrir um poço que providencie 5 GPM de água potável durante todo o ano? Se a resposta for NÃO então você sabe que algo estava errado nas duas primeiras perguntas. Ao fazer perguntas múltiplas sobre o mesmo assunto pode frequentemente encontrar problemas e aprender o que é necessário para desenvolver a boa compreensão das perguntas.
(2) Pré-programação: Com o programa você cobriu muitos dos possíveis enganos que ocorrem. Essa é uma das razões importantes para estabelecer programas ou acordos com seu Sistema de Radiestesia. Um bom exemplo está no programa que define o significado do Posso? Sei? Devo?
(3) Perguntas importantes: Outro método que funciona bem é quando você tem uma pergunta muito importante e a faz em conjunto com outro experiente radiestesista. Se cada um fizer a pergunta do seu próprio modo e obtiverem a mesma resposta, isso é tranquilizador, mas se tiverem respostas diferentes ambos deveriam examinar as perguntas. A maioria dos radiestesistas experientes concorda que a pergunta é o factor chave para a precisão.

O Teste da Pergunta

Robin, a resposta para a sua preocupação sobre como usar perguntas formais é simples e directa. Use sempre perguntas que funcionaram bem anteriormente e vá testando algumas novas. Teste-as tal como o sugerido acima na Formulação da Pergunta, fazendo a pergunta de maneira diferente para verificar se obtém sempre respostas apropriadas a cada situação. Isto fará com que pense cuidadosamente nas palavras que emprega, o seu significado e se negligenciou alguma coisa na pergunta ou no Sistema de Radiestesia. Em todas as línguas usamos muitas expressões idiomáticas (não literais) que é preciso ter em atenção. Se encontrar uma resposta incorrecta é necessário fazer um exame cuidadoso. Normalmente eu faço a mesma pergunta de duas formas diferentes.

Para Melhores Resultados

Robin, não faça esforços desnecessários nem leve as coisas demasiado a sério. Deixe que tudo corra naturalmente. Relaxe e use a intuição. Permita que a informação flua. Em radiestesia trabalhe sempre com o coração pleno de amor, para o seu bem e para o bem dos outros.

Finalmente

Do que eu lhe dei, aproveite somente o que desejar e obtenha tranquilamente sugestões de outros radiestesistas que encontre na vida ou com quem venha a trabalhar. Há todo um mundo de informações a descobrir. É uma aventura maravilhosa e muito recompensadora.
Feliz procura!
Walt

10 dicas para o uso do pêndulo

by Sérgio Nogueira


Como melhorar seus resultados na prática da Radiestesia


pêndulo testemunho
A Radiestesia pode nos ajudar em vários campos, mas para isto é necessário que o radiestesista observe algumas regras para o uso do pêndulo. Muitas pessoas nos escrevem a procura de conselhos para melhorar os resultados obtidos. Neste artigo vamos expor algumas dicas que, uma vez bem aplicadas, certamente proporcionarão um maior índice de sucessos na prática diária, tais dicas servem tanto para uso em Radiestesia física quanto em Radiestesia mental:

1- Estude Radiestesia

Para um bom desempenho é necessário uma base sólida de conhecimentos teóricos, faça bons cursos de Radiestesia, leia todo material acessível sobre o tema, participe de comunidades, entre em contato com profissionais e visite diversos sites. Aproveite sempre para tirar suas dúvidas, pois muitos profissionais tem prazer em explicar aos mais novos. Como regra tenha em mente que a Radiestesia não substitui o conhecimento, ela auxilia o conhecimento que o operador já possui.

2- Cada coisa de uma vez

Não adianta ficar estudando várias técnicas de Radiestesia simultaneamente, escolha uma e coloque-a em prática durante um período a fim de dominá-la, para só então se aventurar em outras diferentes. Da mesma forma procure realizar um grupo de exercícios correlacionados de cada vez.
Ficar saltando entre diversos sistemas apenas auxilia o diletantismo.

3- Relaxe o corpo e a mente antes de utilizar o pêndulo

Esteja calmo para efetuar suas pesquisas e procure um local silencioso. Faça um exercício de relaxamento leve antes de iniciar.

4- Concentre-se na pesquisa radiestésica

É impossível realizar uma pesquisa séria em Radiestesia se não conseguimos nos concentrar no que buscamos, esqueça os assuntos cotidianos e mantenha o pensamento fixo nos objetivos a serem alcançados.
Bovis e o biômetroBovis

5- Pergunte apenas o que é relacionado a Radiestesia

Lembremos que Radiestesia significa sensibilidade as radiações, ou seja, a percepção das energias a nossa volta, não perca tempo perguntando se seu cliente vai lhe pagar ou se seu namorado irá ligar a noite, pode ser até que funcione e você obtenha respostas corretas, mas isto é o simples uso da intuição e não Radiestesia, possuindo um índice de erros que costuma ser alto. A décima dica completa o raciocínio.

6- Formule corretamente as questões

O índice de insucessos devido a perguntas mal formuladas é um dos fatores que mais contribuem para a desistência dos iniciantes. Para obter uma resposta precisa é necessário que a pergunta seja muito bem elaborada, devendo ser binária e sem ambiguidades. Para ler um artigo de ótima qualidade sobre este assunto consulte o método para o uso do pêndulo, onde o autor aborda o tema de forma completa. Se você sente dificuldades para formular perguntas de forma objetiva, escreva-as. Esta medida será muito útil, principalmente em casos em que a mesma questão deverá ser repetida várias vezes. Imagine que você tenha que selecionar Florais de Bach a partir de uma lista por exemplo, se escrever em uma folha de papel “O Floral ………… é indicado para o problema …………..de fulano?” , você garantirá que a pergunta seja repetida sempre da mesma forma enquanto percorre a lista e evitará pequenas mudanças que podem gerar ambiguidades despercebidas.

7- Regule seu pêndulo

Procure sempre “calibrar” o pêndulo em relação a pessoa, objeto de pesquisa ou testemunho no qual trabalha. Este processo auxilia a captar a onda pessoal do objeto, tornando a resposta mais precisa. Isto se faz deslizando delicadamente o fio do pêndulo entre os dedos do operador, enquanto o instrumento é mantido sobre a mão dominante da pessoa ou sobre o testemunho até que entre em giro.

8- Entenda o que você está pesquisando

É muito comum pessoas escreverem para nós dizendo: “Eu detectei um problema X em um caso. O que significa isto?”
É impossível trabalhar assim. Se for usar os gráficos semi circulares tenha certeza de que você entende o significado dos termos escritos nele, se o gráfico contém siglas como E.I.F, ou O.V.P procure saber com o autor o significado delas antes operar.

9- Seja sintético

Não é comum que um problema específico esteja ligado a muitas causas, sendo importante detectar as origens, e estas geralmente são poucas. Se a avaliação está mostrando muitas causas, verifique se as perguntas estão sendo formuladas corretamente e possuem relação direta com o motivo da consulta. Comumente o operador confunde causas com efeitos. Observe seu nível de concentração e procure focalizar melhor a pesquisa.

10- Não é todo dia que tem pão quente

Da mesma forma não é todo dia que o operador está no máximo de sua capacidade. Quando sentir que não está bem para efetuar pesquisas não o faça, ao menos até obter mais experiência para saber como lidar melhor com estas fases.
Esperamos contribuir para que os estudantes melhores de fato seus êxitos, afinal Radiestesia só tem sentido quando proporciona resultados.

Com carinho,

NO INTERVALO

 
No  intervalo entre uma ação e  outra, é  possível avaliar o que foi feito e aferir se o resultado teve  ou não  algum valor.  É preciso refletir e julgar a si mesmo.  Aqueles que não o fazem, levam a vida de modo mais espraiado, difuso, sem muitas metas.
Aquele  que se dispõe a analisar os próprios passos, sempre segue   uma trajetória mais rápida e livre de tantos obstáculos. Programar e direcionar sempre conduz a bons resultados.
Assim também acontece no intervalo  entre uma vida material e outra. Quem não se dispõe a considerar o que foi feito, tem muito mais  dificuldades em saber quais as arestas  a ser lapidadas e quais experiências a ser evitadas. É do erro que nasce  a luz.
Quem se dispõe a evoluir e acertar o caminho mais depressa,  longe de decepções, deve propor-se a planejar os seus passos. É certo que nem tudo depende só do indivíduo. Às vezes, o destino está condicionado às experiências alheias, aos modos de agir dos semelhantes. No entanto, aquele que tem metas definidas é muito mais  seguro e erra menos.
No intervalo entre as tarefas que realizas não te negues a pensar e concluir. Se não analisares a ti mesmo,  não saberás  as quantas andam as tuas forças. É  claro que esse comportamento  pressupõe  disciplina e método. Mas, o que é que se consegue de “mão  beijada”? Só  os aproveitadores indevidos são capazes de prosseguir  sem auto-análise. Entretanto, o caminho deles não é interessante, nem vale a pena  ser imitado. Quem está desperto e adquire o hábito de analisar-se, vai errar muito menos, ser pessoa de fácil convivência e  proporcionar a si mesmo e ao próximo  a  tranqüilidade almejada.
ALTAMIRO

COM CARINHO...
Maurício Marcial de Araújo - CRT 43301 - Terapeuta Holístico, trabalha com Radiestesia, Radiônica e é palestrante destacado do congresso Holística.
É autor dos livros:
A Radiestesia em Terapia Holística, que pode ser adquirido em www.livroteca.com.br e tambem em http://www.agbook.com.br/book/62245--A_RADIESTESIA_COMO_FERRAMENTA_NA_TERAPIA_HOLISTICA_,
 

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

ESCRAVIDÃO


Muitas vezes  o espírito passa   por regimes de escravidão para dar maior valor à liberdade  e para adquirir a humildade necessária aos grandes feitos
A escravidão  pode ser física ou mental, mas é sempre o poder de uma força a subjugar a outra. É sempre a primazia do mais forte contra o mais fraco.
Em tempos remotos, o homem exerceu o poder  de dominador e senhor da mulher, ou de várias mulheres. Subjugar   era um deleite.
A escravidão mental é a pior de todas. Quando alguém não tem o direito de pensar por si só, parece que o seu privilégio  racional vai encolhendo. Mas, toda escravidão gera revolta. São raros os escravos submissos interiormente. Ser livre é uma prerrogativa divina. Se experimentasses  pôr em cativeiro   uma águia em pleno viço, verias que em pouco tempo ela  iria se estiolar e  morrer.
Quando um ser provido da capacidade de pensar e agir é posto sob o poder de algemas, termina por perder a sua  capacidade intelectiva. Ninguém tem o direito de escravizar o seu semelhante.
Mas, ocorre um fenômeno estranho. Muitas vezes é o próprio homem que se impõe  algemas mentais e nessa estreita condição torna-se  escravo de si mesmo, não consegue enxergar além. Fica subjugado  , quase  cego, e age com imensa impropriedade.
O pensar é infinito e pode  se  expandir sem limites. Nunca te esqueças de  que a tua liberdade   é um patrimônio inalienável.
ALTAMIRO
COM CARINHO...
Maurício Marcial de Araújo - CRT 43301 - Terapeuta Holístico, trabalha com Radiestesia, Radiônica e é palestrante destacado do congresso Holística.
É autor dos livros:
A Radiestesia em Terapia Holística, que pode ser adquirido em www.livroteca.com.br e tambem em http://www.agbook.com.br/book/62245--A_RADIESTESIA_COMO_FERRAMENTA_NA_TERAPIA_HOLISTICA_,

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

NUNCA TE PREOCUPES

 
A  preocupação constante, dessas em que ficas ruminando idéias que  nem de noite te deixam dormir bem, desgastam as células cerebrais.  Daí  vem várias seqüelas como à diminuição da memória ou dos reflexos rápidos. Os atos mentais desbotam  e levam a conseqüências maiores.
Não se pode viver sem ter um pouco de preocupações com o tempo, prazos, compromissos, mas tudo deve ser de modo sadio, sem o envolvente caráter repetitivo. A moderação  é uma virtude que também deve existir nos  processos mentais.
Aquele que não se dá o necessário descanso acaba por perder  anos de vitalidade. Quantos enfartos acontecem   porque o homem não deu conta  de assimilar as lições e se preocupa até o ponto de exaustão!
O lugar para onde a tua atenção  se dirige mostra claramente o foco para onde as preocupações te conduzem.
O homem de condição econômica modesta preocupa-se constantemente com  o suprimento da família. O homem letrado, intelectual, preocupa-se com o teor de   teorias  abstratas.  A criança passa horas matutando sobre quais serão os seus presentes de Natal, o prisioneiro fica há contar os dias para a sua libertação, a mãe se preocupa em  amamentar o filho, o mestre em preparar as lições. Há enfim, um sem número de atividades mentais que devem ser exercidas de modo sábio.
O intelecto foi dado ao homem para  produzir cada vez melhor. Mas, se  ele em vez de se expandir  te tolhe, então é hora de disciplinar  a mente. Ela não pode ser como um vaso de detritos, mas como um cofre precioso onde guardas  só o que tem validade.
ALTAMIRO
COM CARINHO...
Maurício Marcial de Araújo - CRT 43301 - Terapeuta Holístico, trabalha com Radiestesia, Radiônica e é palestrante destacado do congresso Holística.
É autor dos livros:
A Radiestesia em Terapia Holística, que pode ser adquirido em www.livroteca.com.br e tambem em http://www.agbook.com.br/book/62245--A_RADIESTESIA_COMO_FERRAMENTA_NA_TERAPIA_HOLISTICA_,

A Radiônica e suas máquinas – Parte II

 

by Sérgio Nogueira
Seguindo adiante encontraremos outro modelo de camêra radiônica, esta criada pelo radionicista inglês George De La Warr, sem dúvida um dos grandes nomes da Radiônica, vejamos seu aparelho:

Máquina radiônica De La Warr Mark I
Câmera De La Warr Mark I

Partes internas da câmera De La Warr
O fato curioso deste aparelho é que as fotos somente eram possíveis quando determinadas pessoas o operavam. A principal operadora da câmera era Marie De La Warr, esposa do inventor.
A esquerda vemos uma foto da parte interna da câmera De La Warr, já bem mais elaborada que aquela desenvolvida por Ruth Drown, atualmente é possível encontrar os arquivos para criar uma réplica do aparelho.
Felizmente, no caso da Câmera De La Warr, várias fotos ainda podem ser encontradas, entre estas selecionamos três para serem publicadas aqui no site:

Fotos radiônica
Foto de uma imagem ritualística colombiana
Fotos radiônica de anel
Foto de um anel
Foto radiônica Marie De La WarrMarie De La Warr

___________________________________________________

Analisadores de Hierônimus

Atomic analyzer Hierônymus

Os aparelhos patenteados por Hierônymus tornaram-se famosos devido as experiências conduzidas por vários práticos e profissionais, seu aparelho mais famoso e flexível (a única versão que ele conseguiu comercializar por sinal) pode ser visto abaixo:


Aparelho radiônico Hierônymus
Analisador atômico de hierônymus
E abaixo um dos circuitos elaborados por Hierônymus.


Circuito eletrônico Aparelho radiônico Hierônymus
Circuíto eletrônico
Por fim, uma das fotos originais de seu aparelho, uma versão mais utilizada para agricultura


Aparelho radiônico original Hierônymus

Malcolm Rae

Base 44 e MGAs (Aplicações de Magneto Geometria)

Malcolm Rae iniciou a construção de aparelhos nos moldes anteriores, com o uso de diais e potênciômetros, porém invés de usar a Base 10 que vimos na página anterior ele optou pela Base 44 de sua criação, na foto abaixo vemos um de seus aparelhos:
________________________________________________________________
Aparelho radiônico Base 44
Base 44
Mais tarde ele desenvolveu o sistema Geométrico Magnético, ao qual ele deu preferência, este sistema empregava cartões em conjunto com os aparelhos invés de mostradores numéricos de proporção, abaixo temos dois destes cartões. Tais cartões são criados a partir de uma técnica que emprega a Radiestesia e o pêndulo para encontrar a proporção ideal. O resultado final é uma espécie de gráfico de Onda de Forma, como as utilizadas em Radiestesia

cartão radiônico
cartão radiônico
cartão radiônico Malcolm Rae
cartão radiônico I
___________________________________________________________
Os aparelhos empregados pelo radionicista inglês vemos abaixo, começando por seu famoso analisador geométrico.

Analisador radiôonico Magneto Geométrico
Analisador Magneto Geométrico
Estes aparelhos idealizados por Rae não utilizam corrente elétrica na maioria das vezes, principalmente os analisadores. Rae também criou diversos instrumentos para a simulação de homeopáticos, como este que vemos na próxima foto.
A forma de regulagem também muda consideravelmente, já que estes aparelhos utilizarão o pêndulo e técnicas de Radiestesia para efetuar os ajustes.

Simulador radiônico de Homeopatia Rae
Simulador de Homeopatia Rae
Estes são os aparelhos que se tornaram mais conhecidos na Radiônica mundial, a maioria dos aparelhos modernos, embora possuam muitos avanços, ainda guardam diversas características deles.

Com carinho.
Maurício Araujo.

A Radiônica e suas máquinas

 

by Sérgio Nogueira
Neste artigo mostramos um pouco do desenvolvimento da Radiônica através dos anos, nos concentraremos aqui nas máquinas radiônicas históricas, sendo elas ainda desconhecidas de grande parte do público brasileiro.

Máquinas radiônicas do Dr. Abrams

Reflexofono e Osciloclast
Naturalmente começaremos pelos aparelhos do Dr.Abrams, criador da Radiônica que empregou sua vida na tarefa de divulgar a todos um sistema barato e eficaz de cura.
O aparelho mostrado na foto abaixo foi o que ele mais utilizou em seus tratamentos.
Aparelho radiônico abrams
Aparelho do Dr. Abrams
Com este aparelho bastante simples o Dr. Abrams efetuou muitos tratamentos e obteve sucessos repetidos. Neste primeiro período da Radiônica as pessoas eram ainda ligadas aos aparelhos, geralmente ne parte superior e inferior do corpo para gerar a circulação de energia, como podemos ver na imagem abaixo:
Esquema aparelho radiônico Abrams
Tratamento de Radiônica
Uma vez ligada ao aparelho, o processo de avaliação era feito através dos sinais captados no abdome  do paciente, a técnica consistia em percutir áreas distintas e observar os sons que eram produzidos, cada região tinha relação com uma parte do organismo, podendo ser comparada com a reflexologia chinesa.
Prática de Radiônica pelo Dr. Abrams
Consulta com Radiônica
Uma outra imagem que chegou até nós foi de um outro aparelho de Abrams, o Reflexofono, um desenvolvimento do osciloclast.
Dois aparelhos radiônicos antigos
Reflexofono e Osciloclast

Máquinas radiônicas da Dra. Ruth Drown

Analisador e Câmera radiônica

Depois dos aparelhos do Dr. Abrams, aqueles que se tornaram mais conhecidos foram os idealizados pela quiroprática americana Dra. Ruth Drown, que a partir daqueles criados pelo Dr. Abrams, desenvolveu sua próprias máquinas e trouxe algumas inovações.
Um de seus curiosos aparelhos permitia a avaliação à partir da resistência elétrica do paciente, que segurava em suas mãos eletrodos enquanto Ruth Drown efetuava os testes, este mesmo aparelho foi aberto durante seu julgamento como parte da estratégia da promotoria para incriminá-la. O esquema simplificado do instrumento pode ser visto abaixo:
esquema máquina radiônica Ruth Drown
Máquina radiônica para análises de Ruth Drown
Mas sem dúvida, o aparelho mais famoso de Ruth Drown foi sua famosa câmera, capaz de fazer fotos à partir de uma gota de sangue que eram utilizadas no processo de diagnóstico. Selecionamos abaixo algumas fotos deste aparelho:
Aparelho radiônico Ruth Drown
Camêra radiônica da Dra. Ruth Drown
Camêra radiônica Drown de frente
Camêra Drown de frente
Parte interna

Aparelhos radiônicos De La Warr

Base 10 e Mark I (câmera)

De La Warr prestou contribuições incalculáveis à Radiônica, e um de seus legados mais duradouros com certeza é a chamada Base 10, um método de construção de aparelhos radiônicos que ainda hoje é bastante utilizado, sendo curioso que mesmo os aparelhos mais modernos procurem manter compatibilidade com o o sistema, como exemplos cito a Se-5 e os aparelhos que fabricamos.
Atualmente pode-se encontrar estas versões mais simples para venda, opcionalmente encontramos também instrumentos mais elaborados que utilizam o padrão mas que possuem  diversos recursos não existentes nos antigos.
Diversos aparelhos De La Warr usavam a Base 10, abaixo podemos observar um dos mais rudimentares, composto basicamente de 9 ou 12 diais ligados em série ou paralelo, embora fosse uma revolução para a época este modelo foi superado por outros que veremos abaixo.
Aparelho radiônico Base 10 De La Warr antigo
Base 10 antigo
E uma versão mais elaborada do próprio De La Warr, já contendo algumas modificações importantes.
Aparelho radiônico De La warr
Versão melhorada
E abaixo uma das versões mais completas que De La Warr fabricou
Máquina radiônica De La Warr
Outra versão
Com carinho.
Maurício Araujo